Enriquecimento cultural

Não sei como funciona a Justiça no Turcomenistão, na China, no Azerbaijão. Acho que há paralelos com o Brasil.

Na Rússia revolucionária o Judiciário ficou na essência – pelo menos nos primeiros anos da Revolução – inalterado. Houve claros os tribunais do povo etc, mas a essência permanceu inalterada.

Memoriais, admoestações pessoais junto aos julgadores, tudo deve ser feito para que nossos pleitos sejam deferidos dentro da lei, da boa-fé, da probidade.

Por exemplo, determiando magistrado foi chamado para compor uma Câmara Criminal. Eu não conhecia o magistrado a não ser em sua atuação no juizado. Como se comportaria num colegiado? Isto lembra a escolha de jurados. A dor e a delícia da advocacia. Um enriquecimento cultural permanente.

Tudo vale a pena quando a alma não é pequena.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s