Anjo e demônio

Há tempos eu não sentia uma cadeia tremer de alegria como hoje, após o cumprimento de um alvará de soltura de um constituinte.
Em um mês cativou os colegas presos, o diretor do presídio e os agente penitenciários. Réu primário, trabalhador, pai de família. No Júri, que eu ainda não o defendia, foi condenado. E absurdamente negado direito para aguardar eventual recurso em liberdade.
Crimes são examinados num tribunal. O juiz verifica se o réu foi o autor do crime, então ele pesa a sua culpa.
A maioria dos presos não é muito diferente de nós.
Eles tropeçaram, caíram fora da sociedade normal. A maioria deles acredita que um infortúnio seria impossível em sua vida.
Muitas vezes, é apenas uma coincidência, se uma pessoa é vítima ou agressor.
É só pensar em legítima defesa.
Eu sou eu e minhas circunstâncias, já disseram.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s